terça-feira, 25 de janeiro de 2011

----- LOMBALGIA CRÔNICA -----

É um processo doloroso que se localiza na coluna lombar. Sendo um dos sintomas mais comuns das disfunções da coluna vertebral caracterizado por dor. Não é um diagnóstico, pode ou não estar relacionado com alguma patologia, Acomete ambos os sexos.

  •  A lombalgia é considerada crônica após 12 semanas.
  •  Devido á complexidade das lombalgias, podemos classificá-las etiologicamente como:
  •  Mecânicas
  •  Patológicas
  •  Inflamatórias






Lombalgia Mecânica
◦ População de risco
◦ Toda as pessoas podem ter lombalgia
◦ Idades mais frequente 20-50
◦ Atividade moderada e ou levantamento-torção
◦ Características
◦ Início súbito
◦ Junção lombo-sacra
◦ Dor mecânica: piora com o uso, melhora ao repouso, pouca dor noturna.
◦ Resolução em poucos dias a seis semanas em 98% dos caso

O que dói na coluna
  • ◦ Musculatura
  • ◦ Disco
  • ◦ Ligamentos
  • ◦ Osso
  • ◦ Facetas articulares
  • ◦ Nervos


Lombalgia Patológica
  •  Tumores/Infecções/Fraturas
  •  Idade de início > 50 anos
  •  Progressiva, piorando em algumas semanas
  •  Dor noturna/repouso
  •  Riscos para malignidade
  •  Riscos para infecção
  •  Riscos para osteoporose

Dor Lombar Inflamatória
  •  Idade de aparecimento < 40 anos 
  •  Dor inflamatória 
  •  Curso irregular 
  •  Dor noturna 
  •  Rigidez matinal profunda e prolongada 
  •  Outros sintomas inflamatórios e/ou sistêmicos 
  •  Sacroiliíte 

Tratamento Farmacológico

Relaxantes Musculares: - que como o próprio nome indica relaxam a tensão e o espasmo muscular;

Analgésicos: - aliviam a dor e conseqüentemente a tensão;

Antiinflamatórios não esteróides: São medicamentos que não contém cortisona. Agem diretamente na região inflamada reduzindo a congestão venosa e a inflamação local.

Diminuição da Dor 

Tratamento Fisioterapeutico 

CALOR/FRIO 

O CALOR aplicado no local da DOR é um coadjuvante importante e pode ser usado livremente devido à sua ação antiinflamatória. O FRIO (BOLSA DE GELO) cuja ação, apesar de parecer um PARADOXO, é igual a do CALOR.
Mais é melhor dar preferência para o calor por causar relaxamento e não rigidez.

Testes para Coluna Lombar

Inspeção
  • Anormalidades grosseiras, escoliose, lordose, retificação; 
  • Palpação
  • Amplitude de movimento da coluna lombar.

Teste de Schober



Ache a junção L5-S1, faça uma marca, meça 10 cm para cima, fletira coluna, tentando tocar os pés.
Normal: aumento para ³ 15 cm



Teste de Elevação da Perna Estendida
É geralmente considerada positiva quando a dor se irradia, ou se exarceba, no trajeto do dermátomo de L4-L5, ou L5-S1, quando a elevação do membro inferior faz um ângulo de 35º a 70º com o plano horizontal. Sua positividade a 60º comprova compressão radicular.

Teste de Laségue
Paciente em decúbito dorsal, flexione o quadril com a perna fletida. Mantendo o quadril flexionando, estenda a perna. Positivo se não houver nenhuma dor com quadril e a perna estendida.




Manobra de Romberg
É positivo quando o paciente oferece resistência a flexão do pé. Costuma ser positivo na estenose do canal.



Escala Visual Analógica
Para mensurar a intensidade da dor é utilizada a escala visual analógica (EVA): validada como método de mensuração quantitativa da dor.
Os Mapas corporais e Questionários são também importantes para avaliar se o tratamento está sendo eficaz.

Tratamento
Nenhuma forma isolada de tratamento é eficaz para todas as formas de dorsalgia. Quando a dor é causada por uma doença sistêmica, o tratamento deve ser direcionado ao problema subjacente; entretanto, na grande maioria dos casos, os pacientes apresentam dorsalgia por um problema mecânico que não pode ser identificado.
O tratamento da lombalgia crônica é direcionado ao alívio das causas e pode incluir em:
  •  Perda de peso, exercícios para melhorar o tônus e a resistência musculares e melhora da postura. Deve-se evitar o repouso prolongado, o paciente tem que voltar as suas avd’s o mais rápido possível.
  •  Os exercícios aeróbicos e de fortalecimento da musculatura paravertebral são comprovadamente eficazes.
  •  A educação corporal e o esclarecimento dos pacientes são de grande importância para a sua reabilitação.
  •  A atividade física deve ser empregada após o tratamento.
Exercícios Sugeridos

ROTAÇÃO DA BACIA PARA TRÁS (BÁSCULA DA BACIA OU "PELVIC TILT")

Deitado com os joelhos dobrados aperte as nádegas uma contra a outra, tentando elevá-las levemente e ao mesmo tempo contraia a musculatura abdominal de maneira que a sua coluna lombar toque com força a superfície que você está deitado.
Mantenha essa contração por 3 a 5 segundos (conte mentalmente 1, 2, 3, 4, e 5) e após relaxe por outros 5 segundos. Recomece novamente e assim por diante.




BÁSCULA DA BACIA COM ELEVAÇÃO DA CABEÇA E OMBROS

Execute todo o EXERCÍCIO Nº1 e ao mesmo tempo eleve a cabeça em direção aos joelhos. Eleve somente a cabeça, os ombros e a parte superior do tronco. Mantenha a cabeça no alto e a musculatura abdominal e das nádegas contraídas por 3-5 segundos e após relaxe.




CABEÇA CONTRA JOELHOS


Entrelace as mãos na nuca, eleve a cabeça e dobre os joelhos, tentando forçar a cabeça em direção aos joelhos e vice-versa.




JOELHOS CONTRA O PEITO





Repita o Exercício nº 1 sem contrair as nádegas. Deitado com os joelhos dobrados, segure ambos os joelhos com as mãos e traga-os contra o peito; mantenha esta posição por 3-5 segundos, relaxe levando de volta os joelhos à posição inicial.


ELEVAÇÃO DO TRONCO PROCURANDO TROCAR OS JOELHOS COM AS MÃOS

Deite com os joelhos dobrados. Contraia a musculatura abdominal, eleve a cabeça e a parte superior do tronco e toque de leve os joelhos com as mãos. Tempo 3-5 segundos.



JOELHOS CONTRA O PEITO SEM AUXÍLIO DAS MÃOS

Deitado traga os joelhos contra o peito, desta vez sem o auxílio das mãos e contraindo a musculatura abdominal.


JOELHO OPOSTO NO COTOVELO

Deitado com os joelhos dobrados coloque os braços para trás e entrelace os dedos na nuca; dobre o joelho esquerdo com mais força e tente encostar o cotovelo direito neste joelho.

Em seguida alternar o joelho direito contra o cotovelo esquerdo. Tempo 3 a 5 segundos cada movimento. Faça 10 vezes de cada lado.

ROTAÇÃO DA COLUNA LOMBAR

Deitado, dobre ambas as coxas até 90 graus sobre o tronco dobrando ao mesmo tempo os joelhos; em seguida execute a rotação de ambas as coxas para um dos lados, encoste a coxa inferior no tapete e force a superior no sentido de tocar o tapete um pouco mais acima da coxa inferior. Mantenha sempre os ombros e a parte superior do tronco em contato com o tapete e na posição horizontal.


Este EXERCÍCIO é importante e altamente eficiente pois aumenta a flexibilidade MUSCULAR, movimenta os DISCOS e as FACETAS ARTICULARES.




ROTAÇÃO COM CONTRAÇÃO LATERAL

Este exercício é uma complementação do EXERCÍCIO N° 8. Execute o EXERCÍCIO N° 8 e permaneça na posição de ROTAÇÃO, a partir daí tente contrair a musculatura lateral do tronco do lado mais alto e com o braço do mesmo lado tente alcançar o joelho. Demore nesta contração de 2 a 3 segundos. Faça 5 a 10 vezes cada lado. Repetir do outro lado.



FORTALECIMENTO POSTERIOR DA REGIÃO LOMBAR


EXTENSÃO MAXIMA DO JOELHO
Deitado em decúbito dorsal (barriga para cima)faça uma flexão da coxa de um dos lados até 90 graus e ao mesmo tempo estique ao máximo o joelho do mesmo lado, de maneira que ele fique no mesmo eixo da coxa. Em seguida com as 2 mãos abrace a coxa e faça um movimento forçado da mesma em direção ao tronco, mantendo sempre o joelho em extensão. Execute o mesmo movimento do outro lado. Tempo: 2 a 5 segundos em cada movimento.



ALONGAMENTO DO MENBRO

Deitado em decúbito dorsal execute com um dos membros um movimento equivalente ao de alongar este membro de maneira que se alguém olhar os seus membros um vai parecer mais Longo que o outro. Repita o movimento do outro lado. Ao fazer este movimento você está abaixando a bacia daquele lado e estirando a musculatura lateral do abdomem o que é muito bom para asFACETAS e DISCOS INTERVERTEBRAIS E FORAME DE CONJUGAÇÃO.




EXTENSÃO DAS COXAS

Este exercício é feito em decúbito ventral. Coloque um travesseiro tipo almofada sob o abdômen e tente elevar uma das coxas a alguns centímetros acima do plano do tapete. (Este movimento se chama EXTENSÃO DAS COXAS). Repita o movimento com a outra coxa. Durante o movimento você vai sentir uma forte contração da musculatura lombar posterior.



EXERCÍCIO EM DORSO DE GATO

Apóie os joelhos e as mãos no solo procure arquear as costas como um gato e ao mesmo tempo contraia a musculatura abdominal e erga a cabeça olhando para o teto.
Você sentirá um estiramento da musculatura de todo o dorso.






BÁSCULA DE BACIA EM PÉ
Basta você ficar de pé com as costas próximas a uma parede, e a partir daí dobre os joelhos em aproximadamente 5 a 10 graus e contraia a musculatura abdominal forçando a coluna lombar contra a parede ao mesmo tempo que a bacia também é rodada para cima e para trás. (O movimento é o mesmo que você faz na posição deitada).




EXERCÍCIO PARA FORTALECER O MÚSCULO QUADRÍCEPS E CORRIGIR A HIPERLORDOSE LOMBAR
Em pé mantenha uma distancia da parede de 30 cm, deixe a coluna retificada, com a coluna inteira na parede comece a agachar.
Mantenha esta posição até começar a sentir um desconforto na região anterior das coxas. No princípio este desconforto aparece nos primeiros 5 a 10 segundos; porém, com o treinamento o período de permanência na posição descrita aumentará. O ideal é atingir os 2 minutos. Este exercício é muito importante.insista.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Mais Acessados